quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Das coisas que tu me deixaste... - IV

Uma das minhas fragilidades, que tu tão bem identificaste, era (é?) a falta de confiança. A incapacidade de reconhecer e assumir o meu valor, a todos os níveis. E uma das coisas que tu fizeste questão de trabalhar comigo foi isso mesmo.

Tu procuraste sempre dar-me confiança e fazer-me aumentar a minha confiança em mim mesma e nas minhas capacidades.

Nunca me vou esquecer do dia em que, em tua casa, tinha eu acabado de sair do banho, me abraçaste na casa-de-banho, me agarraste e me obrigaste a ficar em frente ao espelho a olhar para mim e para o meu corpo. Elogiaste-me, apontaste todas as coisas boas que tenho e obrigaste-me a dizer quer era bonita. Psicologia barata? Talvez. Mas acho que todos devíamos passar por isto, uma vez na vida.

Todos devíamos ter a sorte de ter alguém que nos obrigue a ver as nossas qualidades.

Todos devíamos ter alguém que nos puxe para cima.

Todos devíamos ter alguém que nos diga que somos bonitos, sensuais, sexys, que temos um corpo fantástico.

Todos devíamos ter alguém que nos force a acreditar em nós.

Porque nós merecemos.*




* post não patrocinado pela L'Oréal.

Sem comentários:

Enviar um comentário