quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Das fotografias que dão alegria... - Day 17


Isto hoje vai assim a modos que aldrabado porque nem isto é uma fotografia, nem é da minha autoria. Mas é a imagem que marca o dia de hoje. 

Foi, finalmente, divulgado o percurso da Maratona da Europa. Como não conheço bem Aveiro, ver aquele percurso ou outro qualquer, não me diz grande coisa. Ainda assim, e pelo que já li, parece que não é tão mau como se chegou a temer.

Nao me preocupa muito, na verdade. Inscrevi-me sem pensar muito nisso e continuei sem pensar muito nisso. Não me inscrevi pelo percurso. Inscrevi-me por mil e um motivos diferentes, mas nenhum deles era o percurso. 

E faltam agora 100 dias para a Maratona da Europa. 100 dias. Muitos, para uns. Poucos, para outros. 

Esta manhã, enquanto fitava os carris do metro, dei comigo a pensar que não sei bem por que raio me meti nisto. Devia ter aprendido a lição à primeira, não? Pois que não. 

Se toda a preparação para uma Maratona é um carrocel, eu estou agora numa fase de pessimismo. A sensação que tenho é que ainda estou a voltar a correr, depois da minha paragem. Ainda não estou a treinar. Muito menos, a treinar para uma Maratona. 

Sei que são fases. Sei que as dúvidas são normais. Mas só espero conseguir voltar a treinar consistentemente rapidamente, para que volte algum ânimo e confiança. 




terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Do peso da felicidade...

A felicidade tem um peso. E não é um peso metafórico, como quem diz que a felicidade nos sobrecarrega os ombros ou que nos alivia a alma, consoante nos abandona ou nos agracia.

A felicidade pesa exactamente quatro quilos. Quatro quilos inteiros. Quatro quilos que se acumulam nas ancas, nas coxas, nas bochechas e até nos pulsos. São quatro quilos que fazem as roupas parecerem mais estreitas e as pernas mais pesadas. São quatro quilos que nos sugam o ar dos pulmões quando tentamos correr. São quatro quilos que não nos permitem sorrir quando nos vemos ao espelho.

Como é que eu, que nunca sei nada sobre nada, sei agora que a felicidade pesa quatro quilos quando se cria que a felicidade era algo intangível, impalpável, sem peso nem forma?

Foi uma constatação óbvia, na verdade.

Esta semana ele enviou-me uma mensagem com a primeira fotografia que tirámos juntos. A mesma que está numa moldura na nossa sala. A mesma que tirámos a medo, no meio de algum constrangimento, quando um fotógrafo nos desafiou a isso, depois da nossa primeira São Silvestre de Lisboa juntos. 

É das minhas fotografias preferidas. É a minha nossa fotografia preferida. Gosto do nosso ar, dos nossos sorrisos, da sensação de dever cumprido típica de quem acabou uma prova, da nossa inocência e ingenuidade típica de quem está a começar uma nova relação. Foi a nossa primeira fotografia e foi logo para as bocas do mundo, para esse poço sem fundo que é a internet, para que o mundo inteiro a pudesse ver. E foi o início da nossa história tão nossa, como que num prenúncio do que estava para vir. E o que veio depois disso foram mais sorrisos, mais provas, mais desafios superados.

E mais quatro quilos. Os quatro quilos que separam a nossa primeira foto e o peso que cada um de nós tem hoje.

É o peso da felicidade, não tenho dúvidas.

domingo, 13 de janeiro de 2019

Das fotografias que dão alegria... - Day 13


Neste preciso momento devia estar a fazer a prova de Valejas, com as suas subidas maravilhosas. O plano, ambicioso, até era fazer a prova das mulheres e depois parte da dos homens, para acabar o dia com 10km nas pernas, que diz que tenho aí umas provas a fazer não tarda.

Mas não. Estou no sofá. Numa luta ingrata contra esta febre teimosa e contra os meus pulmões que não me querem deixar respirar.

Pareceu-me uma excelente altura para me agarrar a este livro. Já alguém leu? 

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Das fotografias que dão alegria... - Day 11


Esta é a melhor forma de ilustrar o meu dia de hoje. Era isto ou uma foto do meu sofá com o Snow enroscado. 

Quando uma pessoa finalmente se decide a voltar a treinar com regularidade, o Universo diz que não pode ser. Está certo.



(post não patrocinado... Mas podia, que eu não me importava de ter Mulatas infinitas...) 

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Das fotografias que dão alegria... - Day 9


A fotografia é de ontem. Mas não faz mal. Também não está grande coisa. Mas não faz mal. Talvez já tenha dado para perceber, mas estou a tentar publicar uma fotografia por dia, neste ano de 2019. Já fiz isso em outros anos, de forma mais ou menos consistente. Este ano já falhei um dia. Mas não faz mal. Já falhei em tanta coisa na minha vida, que não é isto que faz grande diferença.

Apresento-vos os meus novos companheiros de treino. Diz que são uns Adidas Ultra Boost. Diz que são muito bons. Eu não sei, que eu não percebo nada disso e nunca usei Adidas.

Desde que descobri que sou pronadora, e depois de ter feito a Maratona com os Vomero mais lindos, tenho andado fiel aos GT-2000, pagando caro toda e qualquer traição.

Mas eu sabia que, por muito boa vontade que eles tenham, os GT-2000 não iam aguentar sozinhos o desafio que este ano me apresenta. Assim, já andava em busca de um segundo par para pronadores há algum tempo.

E eis que descubro estas pequenas pérolas, no Freeport, um par perdido no meu número de Hobbit e ao maravilhoso preço de 45€.

Estivemos no limiar da crise conjugal, porque alguém ficou roído de inveja porque os mesmos ténis no número dele custavam uma pequena fortuna... Confesso que fui coagida a comprar estes ténis e quase, quase obrigada a comprar também outros que lá estavam pelo mesmo preço, também os únicos resistentes no meu número (eram uns Supernova e eu achei que não valia a pena).

Ainda não tenho muito a dizer sobre eles, dado que só os estreei ontem e fizeram o que todos os ténis novos fazem nos meus pés: deixam-me os pés a arder e com dores na planta do pé. Será uma questão de tempo, certamente.

Posso dizer que os achei muito leves e ao melhor estilo pantufa. Mas a minha falta de experiência e a minha ignorância não me permitem tecer grandes considerações técnicas, a dizer que sinto que são umas molas e que me fazem voar e tudo e tudo e tudo. 

Ah! E fiquei com bolhas, apesar de ter sido apenas um treino de 6km... Nada de novo, por sinal. Mas acho piada olhar para eles e ver aquele exagero ali de Boost para corrigir a passada pronadora. Acho piada e acho assustador. Quem me manda não saber correr como deve de ser?!.. 

Hoje vou dar-lhes nova oportunidade e logo veremos.

Acima de tudo, fica a dica: explorem os outlets. É uma questão de sorte, tempo e paciência, mas, de vez em quando, há lá alguns tesouros escondidos com preços incríveis. Isso e terem pés de princesa. Também ajuda. 

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Do meu regresso aos Trilhos...


Foi Sábado, como já disse, que voltei aos trilhos, em Monsanto. Não fazia trail desde a Estrela. Em Maio, portanto. Fui participar num treino de grupo, dinamizado, entre outros, pelas Tartarugas Solidárias. A ideia inicial era irmos só os dois, mas depois vimos este treino no Facebook e decidimos que seria melhor ir em grupo, e cada um poder ir para o grupo mais adequado.

Claro que tomei a decisão super inteligente de ir para o grupo Intermédio e não para o Iniciado... Resultado? Pela primeira vez, tive a oportunidade de ir na companhia do "vassoura" do grupo. O que não é mau, diga-se... Mas fica sempre aquela sensação terrível de saber que o resto do grupo fica à nossa espera, e que alguém tem de ir ali de "castigo" connosco. Alguém tem de ser o último, não é verdade? No Sábado, na maior parte do tempo, calhou-me a mim!



Mas foi tão bom! E soube tão bem voltar a correr ali... É tão desafiante, tão surpreendente, tão desesperante em alguns momentos... Custou-me, custou-me muito. Houve alturas em que me passou pela cabeça voltar para trás sozinha... Mas não o fiz. E superei-me. E isso não tem preço!

Além de tudo isto, ainda houve outra coisa que tornou este treino especial. Estava eu muito bem a pensar no que raio ali fazia, quando me perguntam se eu tinha um blogue. Oi? Fiquei muito surpreendida, confesso! Mas acabou por ser muito engraçado ser reconhecida e conhecer alguém que costuma estar aí desse lado. Olá, Marisa! Eu não sou a pessoa mais simpática ou extrovertida do Mundo, pelo que estas coisas me deixam sempre meio envergonhada e sem resposta, mas acho sempre piada a conhecer pessoalmente quem me lê. Este blogue já me trouxe tanta gente boa! E isso também não tem preço!

Uma boa semana, Mundo! Com muitos treinos, se assim o quiserem!

domingo, 6 de janeiro de 2019

Das fotografias que dão alegria... - Day 6


Hoje fomos passar o dia a Évora. Só porque sim. Só porque nem todos os nossos passeios e viagens têm de ser para ir correr, não é verdade?


Comemos maravilhosamente, como seria de esperar em pleno Alentejo. Uma poejada de bacalhau e feijão, que vai ficar na memória, certamente. Também aproveitámos o Sol que estava, para andar a passear a pé, passando pelos pontos principais da cidade.



Talvez a ida à Capela dos Ossos não tenha sido a decisão mais sensata do dia, porque dá que pensar na efemeridade da vida. Mas compensou o gelado de Dom Rodrigo divinal que comemos depois.



Foi um dia bem passado, que ainda incluiu uma passagem pelo Cromeleque dos Almendres, ao pôr-do-sol.


Dá para amanhã não ser segunda-feira?...


sábado, 5 de janeiro de 2019

Das fotografias que dão alegria... - Day 5


A foto não é minha. Mas não faz mal. Estamos os dois com o ar miserável de quem saiu da cama demasiado cedo. Mas não faz mal. Hoje voltámos a Monsanto. Não é de propósito, mas parece que esta se tornou a nossa tradição anual. Ir a Monsanto no início do ano. Desde a primeira vez que me levaste a correr nos Trilhos. Desde que me mostraste o que é correr no meio da Natureza, só nós e o verde.

Há um ano escrevi que queria lá voltar contigo. E voltámos. E havemos de voltar. Ano após ano. 

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Das fotografias que dão alegria... - Day 4


Sexta-feira à noite também pode ser sinónimo de sofá, gato no meio de nós, e séries na televisão. Diz que amanhã é dia de treino matinal em Monsanto. Cedo. Demasiado cedo. 

Os devaneios Agridoces mais lidos nos últimos tempos...