sexta-feira, 11 de março de 2016

De Praga... - V

No Sábado, meu segundo dia em Praga, aproveitei o pequeno-almoço do hotel com calma - quem resiste a nuttela? Depois, saí em direcção à Praça da Cidade Velha.


Viam-se muito estes carros, com passeios turísticos pela cidade. A moda dos tuk tuks ainda não chegou lá!


Um dos principais pontos turísticos de Praga é o relógio astronómico, que fica numa torre que faz parte do edifício da antiga Câmara Municipal. 


O relógio foi criado no século XV e ao longo dos séculos foi sofrendo diversos reparos e acrescentos. A cada hora certa, o relógio ganha vida, com um desfile dos Doze Apóstolos, e com quatro figuras que representam o Turco, a Morte, o Avarento e a Vaidade. 


Há sempre imensa gente à espera para assistir e, apesar de ser considerado por muitos uma grande desilusão, acho que ninguém sai de Praga sem esta experiência!


Neste dia tinha marcada uma Free Walking Tour, da SANDEMANs, depois de ler sobre elas no blogue Entre Nós. Nunca tinha experimentado nenhuma tour deste género e, confesso, estava bastante céptica. Mas gostei muito e recomendo! Foi uma forma muito interessante de ficar a conhecer alguns dos pontos principais da cidade, ao mesmo tempo que ia aprendendo sobre a História do país, com algumas curiosidades e histórias engraçadas pelo meio.


Praga é também, sem dúvida, a cidade das esculturas! Esta está junto ao edifício da Ópera e representa a personagem Il Commendatore, da ópera Don Giovanni, que Mozart estreou naquele mesmo edifício, em 1787.


Exemplo (raro) de arquitectura cubista. 


Este cartaz do Museu do Comunismo diz tudo sobre a forma como os checos encaram este período da sua História, que só terminou em 1989 e é ainda demasiado recente.


Na visita da manhã fui a muitos e variados sítios, mas confesso que não tirei muitas fotografias, porque nem sempre havia tempo para isso. O almoço foi um bagel, uma fatia de tarte de pistácio e chocolate (maravilhosa!) e vinho quente, claro!


Adorei este pormenor deste prato... Como o meu hotel era muito perto do centro, aproveitei a hora de almoço para ir vestir mais uma camisola e mais um par de meias (já tinha umas collants e umas meias, dentro de umas botas forradas a pêlo por dentro). Estava MESMO frio.


Como gostei tanto da tour da manhã, marquei mais duas. Assim, depois de almoço o ponto de encontro foi junto ao Rudolfinum, a principal sala de espectáculos de música clássica da cidade e depois atravessámos o rio, com o objectivo de visitar o castelo.




O Castelo de Praga foi fundado no século IX e é considerado um dos maiores do Mundo. Actualmente, é residência oficial da presidência da República Checa, e destaca-se por estar tão bem conservado, e pela Catedral de São Vito no seu interior.






Em Praga encontramos muitas igrejas góticas, perfeitamente conservadas. Fiquei a saber que os checos são o 4º povo menos religioso do Mundo, por isso é curiosa a relação que têm com os edifícios religiosos, e os usos actuais que dão a muitos deles.


Este é o pátio de uma das entradas do castelo, onde podemos assistir à mudança da guarda.




Os guardas tinham um ar verdadeiramente assustador!... Na fotografia a seguir é engraçado ver que os dois guardas estão de tal forma alinhados, que só vemos um!



Voltando para dentro do recinto do castelo, ainda tirei mais algumas fotografias da fachada da catedral.








Outro dos pontos interessantes da visita ao castelo é a passagem pela Viela Dourada, assim denominada por ter sido local de residência no século XVI de diversos alquimistas, que tentaram descobrir como fazer ouro. São uma série de casas muito pequeninas, cada uma de sua côr. Já bem mais tarde, Franz Kafka também viveu ali.



Num dos outros pátios do castelo, onde fica o Museu do Brinquedo (que dizem ser dos melhores do Mundo - não fui ver, confesso), e onde se realizavam enforcamentos (o que leva a dizerem que é um local assombrado), existe esta estátua (mais uma!), que se destaca pelo desgaste de uma pequena parte da mesma... Sim, vê-se muita gente a tirar fotografias a tocar na estátua... 



A vista que se tem do castelo para a cidade é incrível!  


Quando acabou esta tour, fui a correr por ali abaixo, de volta à cidade velha, para dar início à terceira tour do dia: a Pivo Tour. A República Checa é uma terra de cerveja e orgulham-se muito de ter o maior consumo médio per capita de cerveja do Mundo (cerca de 144 litros por pessoa por ano). Não podia também deixar de provar algumas das cervejas deles, e destaco o preço que é mesmo muito barato!




A nível da gastronomia deles tive algumas dificuldades. É muito à base de carne, como em qualquer país da Europa central e de leste. Não há mar, portanto, há carne com fartura! Neste dia jantei um prato que não sei bem se é típico, mas que vi em vários restaurantes: queijo panado frito, com batata cozida e um molho tártaro. Nada saudável, mas muito saboroso (e por cerca de seis euros).


Além da cerveja, o absinto é também famoso naquelas terras. Achei imensa graça a esta Absinteria, com um esqueleto à porta. Presságio do final da noite?...


E assim passei o Sábado em Praga. As tours acabaram por ser uma boa opção para conhecer a cidade e os principais pontos, e também para conhecer algumas pessoas muito interessantes, de todo os cantos do Mundo. Acabei por ainda ir a um club/discoteca mas o cansaço não deu para mais do que uma bebida. A vida nocturna deles é muito animada e parece que Praga é um destino famoso para despedidas de solteiro pela animação que tem!

Sem comentários:

Enviar um comentário