terça-feira, 30 de agosto de 2016

Das coisas que me passam pela cabeça...

Talvez devesse voltar para a terapia. Só talvez. Ou talvez não. Talvez voltar para a terapia fosse apenas um disparate porque seria pagar a alguém para me dizer aquilo que, no fundo, eu já sei.

Tenho tido flutuações de humor constantes, vertiginosas e assustadoras.

Alterno entre estados de quase euforia, quando não penso, e estados de profunda tristeza, quando me dou um momento e me deixo ver a realidade.

Merda. É tudo uma grandessíssima merda. Eu sou aquela pessoa que viu o abismo e, ao invés de fugir, correu para ele. E agora, em queda livre, plenamente consciente do quão difícil vai ser minorar os danos da aterragem, pesa-me a consciência e aperta-se-me o peito.

Não, não preciso de voltar para a terapia. Só preciso de parar de tomar decisões erradas e auto-destrutivas.

13 comentários:

  1. Se já identificaste a origem do problema, fica tudo mais fácil e a solução é uma só: critério na hora de decidir para evitar dissabores no futuro. Wish you luck :)

    ResponderEliminar
  2. já pesquisaste sobre programação neurolinguística? tem ferramentas muito poderosas e que realmente ajudam no auto-conhecimento e nas nossas escolhas futuras. fica bem! força! um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda não me debrucei muito sobre o tema mas, sim, tem conceitos interessantes :) Vou ver se investigo! Obrigada :)

      Eliminar
    2. PNL é muito interessante, mas em doses moderadas. :)

      Eliminar
  3. Nós podemos saber o que não está bem, mas por vezes precisamos de ajuda externa para pôr em prática algumas medidas. Eu acho que a terapia é sempre uma otima ajuda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A terapia é muito útil em alguns casos... Não em todos, acho :)

      Eliminar
  4. Acho que devias. Acho que devia ser obrigatório e gratuito. Éramos todos mais felizes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho uma amiga psicóloga que compara a terapia ao dentista: deve ser encarada como a nossa higiene mental.

      Eliminar
  5. Ao longo da vida, todos nós tomamos decisões erradas, mais ou menos destrutivas. Será especialmente assim que conseguimos evoluir de modo mais radical, o nosso eu.
    Se necessitas de reforçar o que já sabes, opta pela terapia, mas se estás capaz de operacionalizar o que já sabes, conta apenas contigo.
    Força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já sei... O problema é o operacionalizar! Obrigada!

      Eliminar