quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Das coisas que tu me deixaste... - III

Também me deixaste a música. O hábito da música. A música sempre a tocar. E não foi só pelo sistema de som que me ofereceste!...

Contigo habituei-me a chegar a casa e a ligar a música em vez da televisão. Criei playlists no telemóvel. Organizei a música no computador.

Contigo habituei-me a ligar a música quando acordo ao fim-de-semana e ando a deambular pela casa.

Contigo habituei-me a ter a música ligada, quando chego dos treinos ou das corridas, e fico a cantarolar enquanto tomo banho, a descomprimir (ainda mais).

Na música, como em muita coisa, sou muito grata por todos aqueles que passaram na minha vida e deixaram as suas marcas. Todos os meus ídolos e grandes referências musicais me foram deixados por alguém, em algum momento. E eu agradeço por isso.

Agradeço pelas músicas que fui conhecendo ao longo dos anos e agradeço por este hábito que criei contigo, e graças a ti, que estou certa me acompanhará sempre.

Obrigada.


terça-feira, 23 de agosto de 2016

Da praia do dia... - IV


A praia do dia foi... A praia do Camilo. Palavras para quê? É aquela praia que aparece em todos os tops das praias mais bonitas de Portugal e do Mundo. O problema é que, por isso mesmo e por ser facilmente acessível para quem está em Lagos, tem demasiadas pessoas...


Quando acordei da minha sesta, era a esta distância que estava uma toalha da minha... Sim, eu faço sesta. Sim, eu tenho a toalha cheia de areia. Mas tenho uma toalha cor-de-rosa linda e umas havaianas igualmente lindas - foquem-se nisso.


A praia é mesmo muito bonita, muito agradável porque é abrigada do vento e passa-se lá um bom dia, a dar mergulhos atrás de mergulhos (o que é que se passa com a água este ano?), e a aproveitar a beleza natural.


Mas... Quando a maré sobre o areal fica reduzido a quase nada... O que é muito complicado numa praia que já é demasiado pequena para tão pouca gente.


Por outro lado, a partir de certa hora a sombra começa a dominar a praia. É preciso ser conhecedor para escolher o sítio certo: nem demasiado perto da água para se ser vítima da maré, nem demasiado perto da falésia, para não se ficar sem sol demasiado cedo.


Como se não bastasse, o acesso a esta praia é feito por uma escadaria com exactamente 225 degraus. Sim, eu contei-os.


Se vale a pena? Vale! Sobretudo, se não for em Agosto e conseguirem chegar cedo...



Nada a ver, mas para registo futuro; o jantar foi sopa fria de meloa e mexilhão e percebes, bem acompanhados por Lambrusco. E ainda agora começaram as férias!

Da ironia da vida...

E, de repente, dá-se o clique.

Só hoje percebi que estou exactamente no mesmo sítio onde tu estavas há seis meses e meio atrás.

Curioso? Irónico? Ou, simplesmente, essa coisa a que chamam karma?

Hoje, talvez, te perceba um pouco melhor. Foram precisos seis meses e estar na mesma situação, para te perceber um pouco melhor.

Hoje, talvez, perceba que a tua situação não era fácil. 

Hoje, talvez, me sinta um pouco menos injustiçada.

Hoje, talvez, perceba que, ao mesmo tempo que vivo um paradigma entre a falta de fé e a crença, vivo um paradigma entre a cobardia e a ingenuidade.

Hoje, com toda a certeza, percebi que os meus erros foram os teus.

Hoje, com toda a certeza, percebi que tenho de fazer a coisa certa.

Hoje, sem certezas nenhumas do que é isso da coisa certa, tomei uma decisão: fazer diferente de ti.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Da praia do dia... - III


A praia do dia foi... A praia do Zavial! O acesso não é nada fácil e várias vezes me questionei, ao longo do caminho, se tinha sido boa ideia... Sobretudo, quando me via rodeada apenas e só de jipes, e quando me via em estradas onde só passava um carro de cada vez.


Mas valeu a pena o esforço. A praia é muito bonita, muito natural e com poucos ou nenhuns vestígios da mão humana.


Tenho pena de não ter tirado fotografias logo quando cheguei, porque nessa altura a beira-mar estava cheia de pequenas piscinas e conseguia-se ter acesso às rochas do lado direito, onde estavam imensos peixes, mexilhões e coisas afins.


O problema desta praia? De manhã, era a coisa mais tranquila do Mundo, óptima para dar mergulhos e ficar a boiar na água tempos infinitos.


À tarde... Mudou tudo! Muitas ondas, a maré a subir imenso e, pela primeira vez, vi o nadador-salvador a colocar uma placa a avisar de um agueiro e a não permitir que ninguém entrasse na água em determinada zona.


De resto, é uma praia muito bonita, mas a maré sobe imenso (ou subiu hoje) e rapidamente deixamos de estar bem longe da água, para termos de recuar as toalhas para evitarmos uma molha...




Das coisas que me dizem...

Conversa com a irmã mais nova, ontem depois de jantar, em que falávamos de mim:

- Tu queres ser mãe?
- Sim.
- Então, tens de te despachar. Não podes ser uma mãe velha!
- Mas...
- Nem que arranjes um qualquer para ter um filho, não têm de ficar juntos para sempre.
- Deixa-me refazer a minha resposta...
- É que eu não te recomendo nada seres mãe velha e já não tens muito tempo!
- Mas podes ouvir-me?! Eu quero ser mãe mas num determinado contexto. Um filho para mim é um projecto a dois, que só faz sentido a dois. Não quero ter um filho só porque sim.
- Mas se queres ser mãe, podes ser mãe sozinha. Qual é o mal? Olha para nós! Nenhum dos cinco teve uma experiência normal de ter os pais juntos e casados e safámo-nos bem*.
- Sim, mas somos todos traumatizados!...
- Ok mas somos todos capazes de dar e receber amor.
- Achas?
- Bom, excepto tu.

Eu mereço.



*Somos cinco irmãos, filhos de três pais e duas mães diferentes. Uma confusão demasiado grande para explicar aqui. O que interessa: o meu pai e a minha boadrasta estão juntos há 16 anos e somos todos filhos e somos todos irmãos.

domingo, 21 de agosto de 2016

Da praia do dia... - II



A praia do dia de hoje foi... A praia da Luz. Escolha pouco original e interessante, mas já ia a caminho quando me lembrei que me tinha esquecido da máquina fotográfica em casa e achei que era um bom dia para regressar a esta praia onde não ia há anos, mesmo não sendo das mais interessantes...


Finalmente, provei uma bola de berlim de alfarroba. E fiquei rendida!


Já tinha saudades de ficar na praia até depois das sete... Ainda é só o segundo dia de férias, que na verdade nem conta porque ainda é fim-de-semana, e já me sinto mil vezes mais leve...


sábado, 20 de agosto de 2016

Da praia do dia... - I


Um dos objectivos para estas férias é explorar praias novas.

Hoje, o destino foi a Praia das Cabanas Velhas. E gostei tanto! Tão bonita, com uma paisagem incrível, um mar maravilhoso, sem demasiada gente e semi-abrigada do vento.

Foi um primeiro dia de férias verdadeiramente espectacular!

Por outro lado, as férias acabaram por não ser dedicadas à paz e sossego absolutos porque a minha irmã mais nova achou por bem colar-se a mim. É toda uma experiência e ando a coleccionar pérolas para mais tarde recordar!...

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Do meu estado actual...

Estou a dez minutos de entrar de férias. Estou doente, tenho a mala por fazer, a casa por arrumar, e 300kms para fazer com um gato insano que, provavelmente, vai querer estar ao meu colo o tempo todo enquanto eu for a conduzir.

Mas... Daqui a nada estarei de férias, já disse?


Das fotografias que dão alegria... - Day 232


Crepe de nutella, na Nut'Chiado, para tentar curar a constipação e entrar de férias mais animada. Quero lá saber do mau tempo!...

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Das coisas que me acontecem...

Esta manhã, vinha eu feliz e contente a chegar ao trabalho quando, de repente, me senti demasiado leve. Rapidamente se fez luz: esqueci-me do saco do almoço no comboio.

Sim, eu sou das que trazem o farnel para o trabalho. Trago o almoço, trago dois iogurtes, trago duas peças de fruta, trago um queijinho, trago frutos secos e trago tortitas de milho... Trago toda uma despensa atrás de mim porque, já se sabe, eu como muito.

Hoje, não trouxe nada e passei muita fominha!...

Ao menos, que alguém se tenha consolado com a minha comida toda!...



(o que vale é que vou de férias amanhã, que isto não vai nada bem...)

Das conversas que eu tenho... - II

A propósito não interessa de quê, conversa entre mim e uma das BFFs...

- Mas foi simpático da parte dele ter feito isso.
- Simpático?! Simpático?! Foi amoroso, foi querido, foi fofinho! Simpático não é coisa que se diga!
- Mas essas palavras não entram no meu dicionário... 
- ...
- Não posso dizer que foi simpático? 
- Bolas! Deve ser mesmo difícil namorar contigo!...

Das fotografias que dão alegria... - Day 231


Ontem foi dia de reunião de avaliação semestral com a chefe. Levar na cabeça, trocar ideias, definir plano de acção até ao final do ano para tentarmos chegar aos objectivos que temos.
No final, emprestou-me este livro e sugeriu que o lesse nas férias.
Tenho quatro livros em papel e mais uns seis ou sete no Kindle, que gostava de ler nas férias. Ainda hoje dizia a uma amiga: preciso mesmo é de umas férias só para ler.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Das fotografias que dão alegria... - Day 230


Mais um treino de final de dia, no sítio do costume.

Depois da corrida de ontem, e deste treino do demo, amanhã não me mexo...

Do que eu não aprendo...

Eu, apesar da idade, continuo tonta e sem saber nada da vida.

Achava eu que estes dias de férias (e consequente afastamento) serviriam para eu arrumar ideias, clarificar sentimentos, perceber o que quero dele e o que quero fazer com ele.

Errado. Completamente errado.

Dou comigo a perguntar-me se tenho saudades, porque tenho mesmo saudades, ou se porque me sabia bem a atenção constante.

Ao mesmo tempo, questiono-me se é justo o que estou a fazer. Claramente, não estamos na mesma página. Mas não estamos porque não dá para estar ou porque, mais uma vez, sou eu que me estou a boicotar? Sou mais injusta se continuar a tentar (correndo o risco de o iludir) ou se desistir à partida (correndo o risco de desperdiçar tudo)?

A confusão é cada vez maior e eu sei cada vez menos. Resta-me o consolo de saber que ainda tenho mais dez dias para continuar a meditar sobre o assunto.

Das coisas que me acontecem...

Um dia, quando estiveres no teu mundo da Lua e a rogar pragas à tua decisão de fazeres um treino mais longo do que o normal, vai passar um rapazinho bem giro por ti a correr, vai virar-se para trás e vai sorrir para ti... Ontem foi o dia.

Agridoce, a espalhar charme pela Marginal desde 2015*.



*Como se fosse possível alguém espalhar charme enquanto corre!...

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Dos finais de dia...

Nada como acabar o dia com um treino de 12kms (coisa que não fazia há uma eternidade...) e a formalizar a inscrição naquela que será a minha faculdade a partir de Outubro.

Let the games begin!...

Dos homens que adoram as mulheres (tudo o que deviam saber)... - IV


Não tenham pressa. Se tiverem, podemos sempre recorrer a uma destas soluções.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Das fotografias que dão alegria... - Day 228

O meu estado actual, a tentar acabar este livro, por um lado, e a tentar ganhar forças para ir correr mais logo, por outro...

domingo, 14 de agosto de 2016

Das fotografias que dão alegria... - Day 227


O dia foi passado em modo piscina, a aproveitar a companhia dos sobrinhos, a comer e a beber.
E o melhor é pensar que, sendo hoje Domingo, amanhã não vou trabalhar!
Que todos os fins-de-semana pudessem ser assim...


sábado, 13 de agosto de 2016

Do meu dia...

Tinha mil planos para hoje, tinha dito que ia acordar cedo e ia fazer um treino longo, que ia aproveitar para arrumar e organizar coisas aqui em casa, tinha voltas para dar, mas... Não fiz praticamente nada. Fui à Via Verde (porque tinha mesmo de ser...), e depois fui ao centro comercial do subúrbio ao supermercado e aproveitar os restos dos saldos.

Trouxe estas meninas (a roupa, não as modelos!) comigo para casa:

Blusa painel renda | MANGO

Saia jacquard algodão | MANGO

E, mais uma vez, concluí que não há nada como experimentar... Não sei onde desencantam estas modelos mas a roupa nelas parece tão sem graça!...


Ignorem a falta de enquadramento e a alça do soutien a ver-se... Perdi a cabeça e comprei uma mini-saia!... Uma mini-saia com riscas, para estas ancas!... Vamos ver se não me arrependo e se tenho coragem de a usar!...

O resto do dia (da tarde) foi passado na cama, com o Snow aos pés e o Tolstoy no kindle, dormitando pelo meio, e acordando às oito e meia da noite com um telefonema.

Ah!... Vida difícil!...

Do ingénua que eu sou...

Ontem passei pelo Conde Redondo às três da manhã e fiquei chocada com o que vi.

Sim, eu sei. Sim, toda a gente sabe.

Mas eu sou princesa, sempre vivi na bolha do meu mundo cor-de-rosa e nunca lá tinha passado àquela hora.

Mas fazem-me bem estes choques de realidade. Este recordar-me do que é a natureza humana e da merda que a vida pode ser, fora do meu reino encantado.

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Das fotografias que dão alegria... - Day 225


Já que o instagram do blogue faleceu (ando a pensar se o fundo com o pessoal, vamos ver, vamos ver), vou ver se, pelo menos, começo a pôr aqui algumas das fotografias que vou tirando e se retomo a fotografia diária.

Hoje: McFlurry de Snickers, porque a sexta-feira é dia de gordices.

Das coisas que me ocorrem pela manhã...

Daqui a uma semana é o meu último dia de trabalho antes de dar início a duas semanas de férias.

Ainda não sei se o que vou fazer, não sei se rumo ao Norte ou ao Sul, pouco ou nada sei.

Mas sei que vou de férias e que as quero como a comida quer ao sal*.



*quem leu o livro e reconhece?

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Das notícias da silly season...


Dos sítios onde eu me perco...


Perco-me no correr dos dias. No tempo que voa. Nos dias que passam e nas noites adormecidas.

Perco-me. Deixo-me ir. Corro. Não me deixo parar. 

Faço planos. Combino programas. Encho a agenda. Tudo menos o vazio.

Mantenho-me ocupada. Distraída. Entretida.

Combino almoços, jantares, saídas, passeios e idas ao teatro. Combino as férias.

Leio, escrevo, divago, canto, corro, faço bricolage e cozinho. Tudo menos estar quieta.

Não páro. Não respiro. Não contemplo. Nada. Nunca.

Não posso.