terça-feira, 4 de outubro de 2016

Das coisas que eu oiço...

Cansam-me as pessoas. As mentalidades. A sociedade actual. O acharmos que podemos tudo. O acharmos que temos direito a tudo.

Há dias, a propósito de uma conversa sobre os atrasos no Serviço Nacional de Saúde, ouvi alguém dizer que no privado era igual, mas que era pior porque se pagava. A mesma pessoa dizia também que, recentemente, tinha chegado 15 ou 20 minutos atrasada a uma consulta e que tinha sido chamada à atenção por isso. E estava muito ofendida por estar a pagar para ser atendida assim. E achava-se coberta de razão.

Eu fiquei calada, que a conversa não era comigo. Mas caiu-me mal o almoço, confesso, e não pude ficar indiferente.

Se há coisa que me aborrece profundamente é que me desrespeitem, desrespeitando o meu tempo. Eu tenho, em média, cinco a seis reuniões por semana. Se em cada uma delas houver um atraso de 20 minutos, posso perder até duas horas da minha semana. E duas horas da minha semana são demasiado valiosas para que eu as desperdice à espera de alguém.

Da mesma forma, não gosto de deixar os outros à espera. Chego a horas às minhas reuniões. Não me atraso para as minhas consultas, sejam elas no público ou no privado. Evito ao máximo atrasar-me nos compromissos pessoais. Claro que há excepções, há imprevistos, mas são isso mesmo: excepções e imprevistos. Não são a regra. E fazem-me sentir mal e levam-me a pedir desculpa e a justificar-me. Porque do outro lado estão pessoas. Pessoas como eu. Pessoas com agendas, com o seu tempo contado, com mil e uma coisas para fazer, que não incluem estar à minha espera.

Custa assim tanto ter um pouco mais de respeito pelo outro, como gostamos que tenham por nós?

5 comentários:

  1. Eu sou assim. Muitas vezes criticado, porque gosto de ir para o aeroporto 4 horas antes do voo. À hora certa estou de certeza em todos os convites que me fazem. Minha mãe em pequeno já dizia, “podes não ser bom aluno, mas tarde nunca chegas há escola”. Não faço ninguém esperar. É uma virtude e sua também :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Mundo seria bem melhor, se toda a gente pensasse assim :)

      Eliminar
  2. Esqueci-me de assinar:)
    Nuno

    ResponderEliminar
  3. E devia ser tão óbvio não é? Sempre achei que se queremos respeito, temos de respeitar primeiro, nem que seja para ficarmos de consciência tranquila...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão óbvio e tão esquecido!... É bom ver-te aí ;)

      Eliminar