quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Do que escrevo e não escrevo...

Já escrevi. Já apaguei. Já voltei a escrever. Já voltei a apagar.

Isto de termos um blogue tem muito que se lhe diga. Sobretudo, quando começamos a ter alguns seguidores. E, ainda mais, quando alguns desses seguidores fazem parte do nosso mundo real ou, noutros casos, foram pessoas que se tornaram mais do que seguidores.

Por um lado, sinto-me limitada no que escrevo. Por outro, sinto-me no dever de escrever certas coisas. Hoje, pesa o dever. Mas também pesa a dúvida. Digo? Não digo? Escrevo? Não escrevo? Faz sentido? Alguém tem alguma coisa a ver com isso? Ou as pessoas merecem saber? 

Eu partilho aqui momentos bons, menos bons, questões pessoais, questões profissionais, dúvidas existenciais, sapatos e vestidos, and so on... Também devo partilhar um acontecimento tão importante como este, não?... Estou em crer que sim. O tempo mostrar-me-à se fiz bem.






(a emissão será retomada dentro de momentos...)

3 comentários:

  1. Tenho pensado tanto nisso... e sinceramente, sinto-me limitada em muito do que escrevo. pensei em fazer um anónimo mas... "mas" não sei...fico sem vontade.

    ResponderEliminar
  2. Sinto muitas vezes essa sensação!
    Também sou seguida por alguém que fez, faz ou fará, (nem sei que tempo verbal usar) parte da minha vida, o que limitou a minha escrita noutro blogue que tinha!
    Também segue este...e se no outro me fechei, e não escrevia o que me ia no pensamento, agora tudo mudou...O comportamento que tive anteriormente moldou-me as ideias, e deixou de fazer sentido, baralhando-me os sentidos...tornando-me no que eu não era.
    Agora? Não penso nisso...voltei a conseguir expressar-me como sempre fiz, e isso é o mais importante

    ResponderEliminar
  3. O que eu tento fazer é abstrair-me disso... Isto é o meu canto, eu escrevo o que quero. Se pode haver gente ofendida ou a fazer interpretações erradas? Paciência. Isto é meu. E só me importa o que as minhas pessoas pensam. Nada mais. Tento, cada vez mais, esquecer-me de quem lê e concentrar-me em quem escreve: eu!

    ResponderEliminar