terça-feira, 23 de maio de 2017

Das Corridas... - XXI

O Estrela Grande Trail deixou-me a pensar em muitas e variadas coisas.

Entre outras coisas, deixou-me a pensar naquilo que eu quero da corrida e naquilo que eu quero fazer daqui para a frente.

E sim, deixou-me a questionar a maratona.

Um dia vou fazer uma maratona. É certo. Está na minha lista de coisas a fazer antes de morrer. Mas não tem de ser já. Não tem de ser este ano. Nem no próximo.

Fazer uma maratona é, para mim, uma coisa muito séria. Eu sei que virou moda, e que toda a gente fez, e que há um mediatismo enorme em torno da coisa, e que é giro e tal. Mas, para mim, é mesmo uma coisa muito séria.

Não quero fazer uma maratona para sofrer ao longo de 42km. Não preciso desse sofrimento na minha vida. Não que a minha vida seja plena de sofrimento, mas, convenhamos, o que tenho chega-me bem.

Quando fizer uma maratona, quero fazê-la a sentir-me bem. Quero que seja um momento feliz. Quero sentir-me preparada.

O que pode ser já em Novembro. Ou pode ser só em 2020.

7 comentários:

  1. O conselho que dou a todos que se pretendem estrear na mítica distância é de o fazerem caso seja muito o que querem. Muito menos por isso que falas de moda. Não, tem que partir duma enorme vontade de querer vencer esse desafio, de se tornar quase uma obsessão (no bom sentido). Se for para fazer uma Maratona porque sim, então é para esquecer pois aí os 3 meses de preparação e os 42.195 metros tornam-se uma tortura.
    Querendo muito, esses 3 meses de preparação tornam-se num período a recordar com muito carinho e a prova em si, um misto de esforço e plena felicidade.
    Atira-te de cabeça caso sintas em pleno o apelo do desafio. Caso contrário, espera que ele chegue :)
    Outro conselho: Nunca tomar decisões importantes de corridas na ressaca duma recuperação de prova desgastante, seja pelo cansaço, seja pela euforia :)
    Beijinhos e força

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso que eu acho... Que ainda não tenho essa enorme vontade e esse apelo! Pode ser que ele surja entretanto :)

      Ahahahah! Adorei o teu conselho! Faz todo o sentido! Mas, curiosamente, neste caso, a decisão (que não é decisão, é precisamente indecisão) surge porque acabei esta prova a sentir-me tão bem, mas vi gente a acabar tão mal, que pensei mesmo que só quero fazer uma maratona quando tiver a certeza que consigo treinar o suficiente para chegar ao fim a sentir-me bem (acho que percebes o que quero dizer com este "sentir-me bem").

      Ainda vou mudar de ideias mais 10 vezes, como disse no outro dia! Ahahah!

      Um beijinho

      Eliminar
  2. quando estiveres pronta farás mas vai custar na mesma porque vá lá, 42km têm de custar. Mas com certeza que a satisfação será muito maior na chegada do que o cansaço da corrida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Custa sempre :) Mas estando pronta, custa menos um bocadinho!

      Eliminar
    2. Custar custa sempre, a grande diferença é entre o custar por prazer ou por sacrifício, principalmente quando a Maratona realmente começa (a Maratona em si começa aos 30, até lá, e desde que o treino tenha sido feito, tudo bem)
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Fazes bem. Quando decidires fazer, faço questão de te ir ver e gritar por ti!

    ResponderEliminar