segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Dos regressos aos sítios onde já fomos felizes...

Este fim-de-semana foi também de regressos. Neste caso, de regresso ao teatro.

Depois de muitos anos a trabalhar nesta área, a verdade é que, desde que deixei esse trabalho, não tinha voltado a entrar numa sala de espectáculos.

E, para me fazer voltar, tinha de ser mesmo algo muito especial. E foi.

O que me levou ao Teatro Nacional D. Maria II no Sábado à noite foi a peça Bovary, do Tiago Rodrigues. E gostei tanto, tanto, tanto!

Sempre disse que o Tiago Rodrigues era um dos meus encenadores preferidos. Ainda não vi muita coisa dele, mas tudo o que vi adorei.

E é bom, é mesmo bom ter alguém assim no teatro português contemporâneo. Precisamos de mais gente assim!

Voltando a Bovary, o texto está genial. Não é a versão tradicional deste clássico da literatura moderna. De todo. É toda uma reinvenção que nos conta a história do livro, mas de uma perspectiva muito diferente. A juntar ao texto brilhante, os actores escolhidos a dedo. Sou fã assumida da Isabel Abreu, desde que a vi em Blackbird, e, por isso, já esperava um grande desempenho dela. Também gostei muito de (re)ver o Gonçalo Waddington, ainda que saiba que é um actor menos consensual. A grande surpresa foi mesmo o Pedro Gil, de quem não esperava grande coisa, confesso, e faz um papel extraordinário e muito bem conseguido.

Foi uma peça que deu para rir, para pensar, para (quase) chorar. Tenho pena que já não esteja em cena, caso contrário, dizia-vos que não perdessem!...


Isto tudo para dizer que, às vezes, só às vezes, é bom voltar aos sítios onde já fomos felizes.

2 comentários:

  1. O texto original é excelente...se foi adaptado e tornado, ainda, mais brilhante, deve ter sido genial.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não diria bem "adaptado", porque na verdade a peça gira à volta do julgamento do autor, e durante a mesma são muitas as citações da obra. É através destes actores que vamos conhecendo o texto original. É muito interessante :)

      Eliminar