terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Do primeiro objectivo de 2017 que eu deixo cair (e ainda só passaram 17 dias)...

Corria o final de 2016 quando me deparei com este post.

Li-o e reli-o. Voltei a ele várias vezes. E, de repente, fez-me todo o sentido.

Eu nasci nos Açores. Naquela ilha. No dia 29 de Fevereiro. Não vou lá há mais anos do que aqueles que gostaria de me lembrar. E, de repente, acreditei que tudo se alinhava para que eu lá regressasse, na altura dos meus anos, para (re)descobrir a minha ilha, de uma forma que me fazia todo o sentido.

E comecei a ver vôos, e a marcar hotéis (just in case...), e a pensar seriamente sobre o assunto.

O problema? Eu nunca tinha feito trail. Falei com quem percebe do assunto, fui fazer um treino a Monsanto, voltei a falar com quem percebe do assunto e ganhei juízo.

Por muito que me custe, e custa mesmo, tenho de admitir que seria um disparate e pouco mais do que um capricho de menina mimada. Não faz sentido. Se há coisa que não devemos fazer nunca, é fazer uma prova para a qual não estamos preparados. Sobretudo, se falamos de trail - e que implica questões de segurança bem mais complexas do que numa corrida de estrada.

Foi assim que aquele que era o primeiro objectivo de 2017, ficou de lado. Temporariamente, apenas. Talvez entretanto me dedique ao trail. Talvez em 2018 vá concretizar este sonho. Talvez não. Já que um dos objectivos de 2017 é regressar aos Açores, e esse objectivo não ficou de lado.

13 comentários:

  1. se precisares que te indique alguém para te preparar para o trail, diz ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Dina :) Acho que já estou bem acompanhada :)

      Eliminar
  2. Chamas a isso deixar cair objectivos? Eu chamo a isso ter bom senso e ser ponderado. E vais ter um ano inteiro para cumprir essa meta com preparação adequada. ;)

    Beijoca,

    Pinhas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não deixa de ser deixar cair um objectivo... Mas obrigada pelas palavras :)

      Beijinho, querida!

      Eliminar
  3. A primeira vez que o meu homem fez trail fez 30km. Já tinha feito maratonas de estrada e achava que ia ser brincadeira. Chegou a casa sem se conseguir mexer, precisou da minha ajuda para entrar na banheira!! Mas apesar disso adorou. Tens que ir preparada. Há declive e não estás habituada, o esforço muscular é diferente, a forma de cair é diferente, tens que aprender a subir e a descer como deve ser. Há grupos de trail em Monsanto, procura e treina! Boa sorte!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tudo muito diferente! Eu já provas de estrada com a distância que esta teria... Mas não tem nada a ver. E tenho mesmo de assumir que não estaria preparada... Vou treinar, sim :) Obrigada!

      Eliminar
  4. Eu trabalhei lá um ano e adorei..aliás, foram férias e não trabalho! Gosto das gentes, do clima, da natureza e do mar!

    boa noite

    ResponderEliminar
  5. Onde tu vês um objectivo falhado / adiado, eu vejo ambição, vontade de viver e de sair da zona de conforto. E isso é um sinal positivo não só para 2017 mas também para o futuro.

    Não deixes cair essa vontade e esse impulso, lima apenas as arestas que forem necessárias para concretizares esse sonho em condições.

    By the way, 29 de Fevereiro de 2020 é um sábado. Aposto que nesse ano a prova vai calhar nesse fim de semana. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que tu percebes, muito bem, o que custa deixar isto cair... Mas sim, não é um cair definitivo.

      Óptima notícia essa! Pode ser que sim, que em 2020 lá vá, comemorar o meu aniversário :)

      Eliminar
    2. Eu percebo, muito bem, o que custa deixar isto cair. Mas tiro conclusões positivas deste projecto - mesmo que adiado - e acho que tu deves fazer o mesmo.

      Pode ser que até 2020 eu volte a fazer um trailzito ou dois. :)

      Eliminar
    3. Não consigo tirar muitas conclusões positivas, não... Fica a frustração e a tristeza. Mas há-de passar!...

      Pode ser que sim :)

      Eliminar