quarta-feira, 17 de maio de 2017

Do Estrela Grande Trail... - II

Faltam 3 dias para o Estrela Grande Trail. Aliás, daqui a 3 dias a esta hora, espero já ter acabado. Espero. Não é garantido que consiga.

Já li e reli a lista de material obrigatório muitas e variadas vezes. Faltam-me o copo, a ligadura e as luvas. As luvas vou tentar pedir emprestadas, a ligadura estou a tentar perceber se tenho mesmo de levar, e o copo não sei se levo, mas hei-de decidir entretanto.

Já sei quanto tempo demoro de Lisboa ao sítio onde vou dormir Sexta. E já sei quanto tempo demoro desse sítio ao sítio onde se levantam os dorsais no Sábado. A minha prova só começa às dez, mas vou com alguém cuja prova começa às nove. Vou ter muito tempo sozinha para pensar na minha vida. E rogar pragas ao mundo, talvez.

Sei que não estou preparada. Hoje vou fazer o último treino (se não fossem as aulas, seria amanhã) e vamos ver como me sinto. Estou com medo. Muito medo.

E sim, eu sei que esta é uma prova das grandes. O Estrela Grande Trail é das provas mais relevantes no circuito nacional de trail, não só, mas também, porque inclui uma prova de 109km particularmente difícil. E é meio ridículo eu estar com tanto drama para quem vai fazer apenas 15km. Mas é o meu 4º trail. E vão ser 15km muito duros.


A primeira vez que me falaram nesta prova, e que eu olhei para esta imagem, achei que me parecia relativamente acessível. Sem grandes carrosséis. Uma boa parte a subir, uma boa parte a descer. Comparado com o Cork, parecia mais simples. Sem nada de mais. Passadas umas semanas, voltei a olhar para a imagem, olhando atentamente para a escala e para a legenda de lado. E assustei-me. Para quem não percebe nada de trail (eu!), isto realmente parecia simples. Não é. Não vai ser. Cada um com a sua escala, cada um com as suas dificuldades, e jamais ousaria comparar o meu esforço com quem vai fazer as provas grandes. Mas... Olhando para mim e para as minhas circunstâncias, sei que me vai custar. Sei que me vai doer.

Também sei que vou ver paisagens incríveis, também sei que o ambiente vai ser espectacular, também sei que, em correndo bem, vou chegar ao fim a sentir-me estupidamente feliz e orgulhosa de mim mesma. Em correndo mal, olhem, vão ter de me aturar!...

Vou continuar em modo contagem decrescente, a pensar nas refeições, nas panquecas que vou fazer para levar, no que vou vestir (temperaturas de loucos...), no que enfiar na mochila, ... Fico cansada só de pensar na logística da coisa. Dado que Quinta chego a casa à meia-noite, e Sexta saio de casa às sete e meia e já não volto, resta-me a noite de hoje para tratar de tudo (o possível, pelo menos). Já disse que quero ir treinar hoje? E que hoje só dormi seis horas? E que vou chegar à prova já cansada?...

Canso-me a mim própria com tanta queixa!... Perdoai!

9 comentários:

  1. Nunca será ridículo, seja meio ou inteiro, ter-se receio dum desafio, seja ele de que tamanho for pois o que para uns é pequeno para outros será enorme, tudo depende de cada ponto de vista e do termo de comparação. Essas dúvidas todas surgem pelo respeito que tens ao dito desafio e isso é meio caminho andado para o conquistares. Herói não é aquele que não tem medo, esse é o inconsciente, herói é o que tem medo mas enfrenta-o de frente.
    Por isso, força, muita força e que regresses a sentir-te estupidamente feliz e orgulhosa de ti mesma. Isso serve para lavar a alma e aumentar a auto-estima. E o quão importante é a auto-estima...

    Beijinhos e fico a enviar energia positiva lá para os lados da serra :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Respeito. Muito respeito. É a montanha mais alta do continente, caramba! :) E se há coisa que a corrida me ensinou, foi isto de respeitar as loucuras em que nos metemos!...

      Obrigada pelas palavras, pela força e pela energia positiva que lá há-de chegar, certamente :)

      Um beijinho e boa prova em Alverca!

      Eliminar
  2. Admiro-te corajosa. Vai correr bem! Estou pronta para ler o relato de como correu.

    ResponderEliminar
  3. Estamos todos aqui a torcer por ti. Se te faltar a confiança em ti própria, lembra-te de todos os que acreditam em ti e na tua força de vontade. E tu melhor que ninguém sabes que vais "chegar ao fim a sentir-me estupidamente feliz e orgulhosa de mim mesma". Aliás, sugere-me um bom amigo com vasta experiência nesta coisa das corridas que quando as forças faltam um bom truque é imaginar o momento de felicidade ao cortar a meta. Coragem, o passo mais importante que foi o da inscrição está feito há muito. Agora é apreciar a paisagem. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece-me um excelente truque :)

      Obrigada pelo incentivo! Vou lembrar-me, sim!

      Boa sorte para a prova de Alverca, do outro lado da barricada, desta vez :)

      Eliminar
    2. Obrigado!
      Vou estar dos dois lados da barricada. :)

      Eliminar