quinta-feira, 13 de abril de 2017

Do passado que nos entra pela casa adentro quando menos esperamos...

Uma carta das finanças.

Uma carta das finanças foi quanto bastou para eu ter de fazer uma viagem no tempo, para eu ter de remexer no passado, para eu ter voltado a sentir-me ingénua, idiota, burra mesmo.

As coisas de que as pessoas são capazes não deixam de me surpreender. A capacidade de mentir, de enganar. Uma capacidade infinita que me transcende.

Olho para o meu passado e é inevitável perguntar-me como foi que aturei certas coisas. Olho para o meu passado e pergunto-me como pude ser tão fraca, tão pequena, tão ingénua. Olho para o meu passado e não percebo como deixei as coisas chegarem àquele ponto.

Eu, que sempre me considerei uma pessoa inteligente. Eu, que sempre me achei senhora da razão. Eu, que não hesito em dar conselhos e em dizer como fazer.

Eu fiz tudo errado. Eu cometi erros atrás de erros. Eu, na minha fragilidade, na minha insegurança, na minha tão fraca auto-estima, aceitei o que me davam. Aceitei as migalhas, aceitei as desculpas esfarrapadas, perdoei erros atrás de erros.

Custa-me aceitar que eu possa ter sido essa pessoa. Às vezes, lemos as histórias dos outros e perguntamos como é que esta ou aquela pessoa suportou determinada situação. Não sabemos. Não entendemos. Até sermos nós a passar pelas coisas, nunca poderemos entender.

Hoje, resta-me o consolo da consciência tranquila. Do saber que fiz sempre o que achava correcto. Do saber que, com tanto disparate, aprendi e cresci imenso. Do ter a certeza de que hoje quero e faço diferente.

Hoje, resta-me isto tudo. E uma multa por pagar.

6 comentários:

  1. "Quem está no Convento é que sabe o que lá vai dentro", sempre ouvi dizer. Nunca critiquei certas opções porque acredito que as pessoas é que sabem pelas coisas que passam. Nunca é tão fácil para elas, que as vivem, como para nós que só vemos de fora.

    Todos somos humanos, todos erramos. Importante é aprender com isso e seguir a vida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos sempre muito rápidos a julgar os outros... Só quando passamos pelas coisas é que as percebemos verdadeiramente!

      Sempre a aprender :)

      Eliminar
  2. Pena teres passado por isso mas ao menos saíste mais forte!!

    ResponderEliminar
  3. Eu acredito que se passamos por essas provações é para retirarmos aprendizagens. De outra forma, teria dado em maluca!!!
    Agora é pagar a multa e seguir em frente... ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, acabamos sempre por aprender e vamos crescendo mais fortes! :)

      Eliminar