segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Do tempo que é dos balanços...

À semelhança do que fiz em 2015 (aqui) e do que fiz noutros anos (mas que não me apetece ir procurar), achei que fazia todo o sentido, também este ano, fazer um balanço do ano que passou. Queria tê-lo feito na noite da passagem de ano, mas alteraram-me os planos, e só agora aqui consegui vir.

Se 2015 foi um ano muito conturbado, sobretudo no trimestre final, 2016 foi um ano de altos e baixos.

2016 será sempre o ano em que eu aprendi a estar sozinha. 

Foi em 2016 que eu completei um ano inteiro a morar sozinha. E tenho dificuldade em imaginar-me a viver doutra forma.

Foi em 2016 que eu fiz a minha primeira viagem sozinha. E gostei tanto que quero repetir.

Foi em 2016 que eu passei mais tempo sozinha do que em qualquer outro período da minha vida.

Foi em 2016 que eu aprendi a gostar de mim, a cuidar de mim, a preocupar-me comigo.

Mas 2016 foi também o ano em que continuei a cair e a levantar-me. Foi o ano em que eu acreditei e fui desiludida. Foi o ano em que eu tentei e desisti. Foi o ano de questionar e tudo pôr em causa.

2016 foi também, sem sombra de dúvida, o ano das corridas. Foi o ano em que confirmei aquilo que surgiu como suspeita no final de 2015: eu gosto de correr. Faz-me bem correr. E é algo para ficar. Não sei quantas provas fiz em 2016, mas fiz a primeira meia-maratona (e mais duas), e acabei o ano na São Silvestre de Lisboa a fazer o meu melhor tempo de sempre em 10km. E a sensação é indescritível.

Em 2016 eu também decidi voltar a estudar. Começo a achar que, provavelmente, é uma decisão que não me trará aquilo que eu esperava que trouxesse. Mas não me arrependo.

Não menos importante, foi em 2016 que adoptei o Snow. Que me enlouquece, que me deu muita agitação e muitos nervos nas últimas semanas do ano, mas que já faz parte de mim e da minha vida.

Em 2016 não perdi nenhuma das minhas pessoas, ganhei algumas pessoas novas na minha vida, e continuei grata pelo privilegiada que sou.

Não foi um ano extraordinário, mas foi um bom ano. E eu agradeço muito por isso.


8 comentários:

  1. Aprendemos e crescemos com todos os momentos da vida. Que 2017 seja ainda mais feliz :) Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Começo pelo fim: como dizias há dias, é muito importante agradecermos e dar valor ao que temos e que muitas vezes tomamos por garantido.

    Espero que 2017 seja um ano de consolidação de todas as coisas boas que te aconteceram, guardando sempre espaço para novas alegrias que te vão certamente surgir pelo caminho.

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  3. Que por mais altos e baixos que existam nesse percurso, possa ele ser sempre em frente. Tanto no trajeto como na pessoa.

    ResponderEliminar
  4. Agradecer, sempre.😊 Um bom ano ,com novas metas,novos sonhos,e, sempre um sorriso.😊. Um beijinho.

    ResponderEliminar