terça-feira, 7 de junho de 2016

Das minhas férias...

Não tenho escrito. Nada. Zero. Vim de férias a achar que sim. Que escreveria muito. Mas, até ver, nada.

Hoje foi o primeiro dia em que tive acesso minimamente decente à net (fui ao café da frente tomar qualquer coisa de manhã e pedi a password da net - shame on me!). Ainda não liguei a televisão. Mas já despachei dois filmes. E um livro.

Tenho a cabeça (e o coração?) feita num oito. Como é que eu percebo se o meu desejo de estar com alguém é mesmo desejo de estar com essa pessoa, ou é simplesmente uma forma de fugir à solidão? Hoje, na praia (tenho pensado imenso), caiu-me a ficha. Faz na próxima semana 4 meses que estou sozinha. Não é muito. Não é nada. Eu sei. Mas isso, como tudo na vida, é relativo. Não me lembro ao certo quando foi a última vez em que estive tanto tempo sozinha, mas vamos assumir que foi em 2003. Noutra vida, portanto.

E sim, estar sozinha é bom. Faz-nos bem. Crescemos. Aprendemos. Alguma vez eu (ou alguém à minha volta) diria que eu era pessoa para me fazer à estrada para 10 dias de férias sozinha? Nunca. Jamais (ler com sotaque francês, sff). E tem sido bom. Eu gosto de estar sozinha. Gosto de estar no meu canto, ter o meu ritmo, fazer as minhas coisas. Não me chateia nada.

Pelo contrário, só me assusta. Faz-me pensar se voltarei a ter paciência para abdicar disto. Sim, sim, já sei, um dia vai aparecer alguém com quem eu vou ter vontade de partilhar tudo e não vou mais querer estar sozinha. Talvez sim. Talvez não. Neste momento, não me imagino nisso. Já aqui o disse: não me apetece ter trabalho, não me apetece fazer cedências. Quero alguém que me aceite como sou, que não me dê trabalho. Mas esse alguém não existe.

Entretanto, o que existe são outras pessoas. Com as quais eu não sei o que fazer!... Daí o caos referido inicialmente... Enquanto não conseguir perceber o que vai nesta cabeça, devia estar quieta no meu canto. Mas não me deixam quieta!... E eu passo os meus dias nestes dramas: tens medo de estar sozinha? queres alguém só porque sim? vale a pena o esforço? vais continuar fechada na bolha? vais tentar e dar uma hipótese? e idem, idem, aspas, aspas...

(estava tão melhor calada!...)


2 comentários:

  1. Não estavas nada melhor calada! Faz bem escrever sobre isto! Mandar pra fora! Eu própria tive estes pensamentos todos à sensivelmente um ano atrás. Tudo nos passa pela cabeça tonta :D
    Agora vou ler o post seguinte

    ResponderEliminar
  2. Também regressei de uma semana de descontracção.
    Mas sem net.
    Bem que tentei apanhar sinal no café em frente. Com sorte, saberia a password e poderia usar em casa.... Mas ninguém tinha WiFi nem password que não fosse secreta... Dá perfeitamente para viver sem TV e net. Mas tendo-os... são hábitos irresistíveis.

    PS: Vim direta do blogue da estudante, para perguntar uma coisa... acanhei-me... Mas se te der para a curiosidade, pergunta «o quê» lá no meu ehhe.

    Boas próximas-férias!
    (de preferencia acompanhada com outro ser para além do cão, que me parece - parece, ser um desejo de verão :))

    ResponderEliminar