quinta-feira, 2 de junho de 2016

Das coisas que tu me deixaste... - I

Nem tudo foi mau, é certo. Nunca é, não é verdade?

Há sempre coisas boas, memórias de momentos, palavras e sensações.

Se tivermos sorte, são mais as coisas boas que ficam, do que as más.

Ainda não consegui perceber verdadeiramente se tive sorte. Acredito que sim. Mas só o tempo o dirá.

Uma das coisas que tu me deixaste, de forma um tanto paradoxal, foi a capacidade de acreditar. Acreditar em mim, acreditar que era possível, acreditar na vida.

Voltaste a entrar na minha vida, tantos anos depois, estava eu feita em cacos, a sair de uma relação demasiado longa e demasiado tóxica, que acabou da pior forma possível. E tu sabias isso tudo. E, na tua forma tão própria de ser, quiseste ajudar-me a apanhar os cacos. 

O fim não foi o melhor, mas os meios foram. Sem dúvida. Tu mostraste-me que não podia ficar fechada na minha bolha, que a vida continuava, que eu merecia mais e melhor, que eu tinha de continuar a acreditar e a lutar por mim.

E esta história podia ser perfeita se as coisas não tivessem acabado como acabaram. Mas não faz mal, sabes? Considerando de onde eu vinha, considerando o meu estado, considerando a minha fragilidade, considerando aquilo que tu és, não era expectável que as coisas entre nós durassem. Mas foram boas enquanto duraram. 

Se podia ter escolhido melhor o meu rebound guy? Não, não podia.

9 comentários:

  1. Se tivermos sorte, há sempre alguma coisa boa que fica, até nas piores relações.

    Saíste de uma relação tóxica e longa? Parece a minha descrição só que ainda não saí e não vejo como... podes dar dicas, se quiseres ;)Já tentei sair e tive o tal rebound guy mas ainda me fez querer mais o anterior e depois... voltei...

    Que bom sentires-te liberta!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A maior dificuldade é conseguir admitir que é uma relação tóxica. Se já sabes, estás à espera de quê? :)

      Eliminar
    2. Nem sempre acho que é... my middle name is dúvidas :p

      Eliminar
    3. Mas o teu último nome é certezas :) Manda mail se quiseres desenvolver o assunto!

      Eliminar
    4. lol...acho que vou mudar para Dúvidas e Dúvidas. Obrigada ;)**

      Eliminar
  2. Concordo com isso, há sempre coisas boas no meias da maioria má (se fosse o contrários as pessoas ainda estariam juntas). Sempre que acabei as minha relações foquei-me nas coisas más, acho que de certa forma me ajudou a superar. Mas, nesta última, com um cancro à mistura, não posso ser hipócrita e tenho que admitir que ele foi bom comigo, gostou de mim à maneira dele e fez-me sentir bem, quando, pelas circunstâncias, não deveria...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Custa mais, é um facto, quando não temos nada de mau a apontar... É muito mais fácil focarmo-nos nas coisas más para conseguirmos avançar! Mas agora estás tão bem que isso não interessa nada :)

      Eliminar
  3. conseguimos tirar sempre coisas boas das coisas más :) Há sempre coisas que valeram a pena apesar de tudo, acho que é nisso que nós devemos centrar :)

    ResponderEliminar