terça-feira, 24 de maio de 2016

Das conversas que eu tenho... - o que todos querem saber...

Dez minutos. Dez minutos apenas foi o tempo que demorou a nossa conversa.

Quis pedir desculpa pelo que tinha feito. Que tinha sido um grande erro, que eu não merecia, que ele agora estava a pagar por isso e estava muito arrependido. 

E quis dizer que eu não tinha culpa de nada, que não fiz nada de errado, que eu sou linda, maravilhosa e perfeita (esta foi a parte em que eu vomitei), que o homem que me tiver ao seu lado é um sortudo e deve fazer um altar a agradecer.

Que ainda tem saudades minhas, que pensa em mim diariamente, que todos os dias se lembra de mim antes de adormecer (esta foi a parte em que eu me ri). Que ver Game of Thrones o irrita porque se lembra de mim porque eu é que o pus a ver aquilo (viram o episódio de ontem??? isso sim foi um drama!...).

E que precisava de me dizer isto, por um lado numa vertente egoísta, para poder seguir com a vida dele e me poder esquecer, e, por outro para me ajudar a mim (really?).

Deixei-o falar. Ri-me pelo meio. Só lhe perguntei se tinha precisado de sete meses para isto. Parece que sim.

E é isto. Não me arrependo. Fiz a boa acção do dia, da semana, do mês. O rapaz precisava de falar, e eu deixei-o falar. 

End of story.

2 comentários:

  1. Apesar de tudo, mais vale tarde do que nunca e ainda bem que tem consciência da realidade (ainda que tenha demorado a percebê-la)!

    ResponderEliminar
  2. naaa não me convence. Se o que tu escreveste foi mesmo o que ele disse...estava a testar-te e viu a tua reação. Mas pode ser tudo!
    Se tivesses aberto o jogo...acho que irias ouvir outra conversa :)

    ResponderEliminar