sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Das coisas que eu faço...

Eu afasto as pessoas por medo que se aproximem demais. 

Afasto-as por medo de me habituar a elas.

Afasto-as por não querer tornar-me dependente delas.

Afasto-as para poder provar a mim própria que eu sou quanto baste. Que não preciso de ninguém. Que estou bem sozinha.

Afasto-as porque se não as afastar, surgem relações. E as relações trazem expectativas. E as expectativas trazem desilusões.

Não as afasto por não gostar delas. Por não as querer perto de mim. 

Eu afasto as pessoas porque tenho medo. Medo do que pode acontecer se eu deixar que se aproximem. Medo do que pode acontecer se as trouxer para perto de mim e gostar ainda mais delas.

Afasto-as porque sei, porque é inevitável, que um dia me vão desiludir. Que um dia me vão magoar.

Afasto-as para me proteger. E é legítimo. Se é o melhor para mim? Não sei. O que é isso de ser o melhor?

6 comentários:

  1. Não, não é inevitável que um dia te vão desiludir! Podes estar a afastar que não merecia ser afastado.
    Percebo o que fazes,mas... tens de dar um hipóteses à humanidade! :)

    ResponderEliminar
  2. <3 Welcome to [my]world.
    E é isto. Uma espécie de esquizofrenia.

    ResponderEliminar
  3. <3 Welcome to [my]world.
    E é isto. Uma espécie de esquizofrenia.

    ResponderEliminar
  4. Ao longo dos meus 42 anos de vida desiludi-me muito com as pessoas. Mas continuo a acreditar que há pessoas boas, generosas e genuínas. Não tenhas medo das pessoas. E o processo da desilusão faz parte da vida, faz-nos sofrer na altura, mas, depois, deixa-nos mais fortes.

    ResponderEliminar
  5. Algumas conexões também te fazem falta! De vez enquanto terás de baixar a guarda, se não sem sentimentos fortes, bons ou maus, será que estás mesmos a viver ou apenas a passar pela vida?

    ResponderEliminar
  6. Como eu te compreendo. Já passei muitas vezes por isso mesmo, por longos períodos. Não é natural em nós seres humanos. Precisamos de contacto e de laços mas eu compreendo porque é uma forma de nos defendermos de mais uma desilusão ou dor. Procura um equilíbrio. Que é o que eu tenho tentado também.
    Beijinhos

    ResponderEliminar