domingo, 29 de novembro de 2015

Das dúvidas que ficam...

Quando decidimos deixar alguma coisa, seja um emprego, uma casa, uma relação, ou até um carro, porque queremos ir em busca de algo melhor, é inevitável que, algures no processo, nos perguntemos: será que vou mesmo encontrar melhor ou estarei a exigir demais? Devo dar-me por contente com o que tenho? Vou arrepender-me?

Só me vem à cabeça aquela música: Who can say where the road goes? Only time... 

6 comentários:

  1. Sim, só com o tempo descobrimos se fizemos a opção certa.

    ResponderEliminar
  2. Mas sem tentar, sem arriscar...nunca saberemos. Se correr bem...óptimo. Se correr mal, aprendemos sempre alguma coisa. Digo isto porque já o fiz algumas vezes. E sim...há sempre aspectos positivos e negativos em todas as mudanças. Ter medo de tentar é humano...mas deixarmo-nos vencer por esse medo é um entrave à evolução. Claro que ponderamos sempre os possíveis prós e contras. Olha...parece um exercício parvo (se calhar é), mas...sozinha...uma caneta e uma folha de papel...divide a folha com um traço ao meio na vertical. Os prós e os contras...no fim será talvez menos difícil decidir. Ai....será que ainda compliquei mais ? Olha...boa sorte, seja lá o que isso for. FORÇA!

    ResponderEliminar
  3. Se tinhas dúvidas provavelmente já não estaria a funcionar. Espero que o futuro te traga bem melhor :)

    ResponderEliminar
  4. Os receios e as incertezas havemos de as ter sempre. Mas há decisões que têm de ser tomadas e que se impõem em determinadas alturas das nossas vidas. Se calhar não estamos a ver bem as coisas e mais vale estar quieto mas também podemos estar perante a oportunidade das nossas vidas. Seja como for, teremos de fazer com que valha a pena e, para isso, a atitude é o que faz a diferença. Coragem e sorte. Beijinhos

    ResponderEliminar