terça-feira, 1 de setembro de 2015

Do balanço das férias...

Mais umas férias grandes que passaram. Grandes, grandes, é como quem diz. Passaram duas semanas de férias.

Não foram umas férias extraordinárias. Não fui a nenhum sítio paradisíaco. Não experimentei nenhuma daquelas coisas que toda a gente tem de experimentar antes de morrer. Não tenho fotografias dignas de capa de revista. Não fiquei num hotel de cinco estrelas nem comi em restaurantes de luxo.

Foram umas férias muito simples: na casa do costume, no sítio do costume, com a cara-metade e os enteados, com idas à praia, mergulhos no mar, bolas de Berlim, peixinho fresco e marisco, muitos livros, jogos de tabuleiro, cartas e alguns filmes.

Ainda assim, diversas vezes demos por nós a repetir que podíamos continuar naquela vida indefinidamente, que nada nos importaríamos.

A idade trouxe-me a limitação da ingestão de bolas de Berlim, mas também me trouxe o dom de saber apreciar as pequenas coisas. E estas pequenas coisas bastaram-me estas férias.

Só peço que para o ano haja mais do mesmo. Assim. Não peço mais.

2 comentários:

  1. Às vezes as coisas mais simples são mesmo as melhores... :)

    ResponderEliminar
  2. Eu também tive umas férias super simples. Fui acampar 10 dias, na paz e no sossego. Dei banhos de mar e piscina, comi peixinho e carne grelhada. Paz e Sossego e partilhar os dias com o meu amor. Passava bem também o resto da vida assim. A apreciar o simples da vida, que afinal é tão somente o mais importante. Beijo Grande.
    P.S. Também comi duas bolas de berlim...

    ResponderEliminar