segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Da terapia...

Não, não voltei à terapia. Esqueçam lá isso. 

Mas... Se voltasse...

Sei bem o que ela me diria. Ela, ou qualquer outra pessoa. 

Que eu sou uma pessoa de ciclos. Que eu cometo os mesmos erros repetidamente. Que eu me auto-destruo. Que eu sou daquelas pessoas que se metem em situações que sabem que as vão magoar.

E, o pior, é que eu tenho consciência disto. Eu tenho plena consciência de onde estou agora. Que tenho. Mas, curiosamente, também não faço nada para sair daqui. Sei que me faz mal, sei que a longo prazo vai acabar mal, mas deixo-me estar.

Deve ser um bocadinho como o que se passa com os viciados em qualquer tipo de droga. Sabem que lhes faz mal, mas sabe-lhes bem. Sabes-lhe muito bem. E, além disso, acreditam piamente que controlam a situação e que, a qualquer momento, podem parar.

Eu sou igual. Eu estou numa posição igual. Tenho noção do que se passa. Tanta, que escrevo aqui sobre isso. Mas não faço nada.




Chamar-me estúpida é pouco. Mas o irónico aqui é que isso não adianta mesmo nada. Porque eu hei-de continuar nesta auto-destruição enquanto me apetecer.

1 comentário:

  1. E por mais que nos digam essas coisas, e por mais que saibamos que é assim, não muda nada! ;) parece que ainda é pior!

    ResponderEliminar