terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Dos dias mais sombrios...

Irritam-me profundamente as pessoas que só se choram e se queixam.

E irrita-me profundamente que, por vezes, eu seja uma dessas pessoas.

Mas hoje, perdoai, isto não está fácil.

Hoje, uma pessoa que conheci há muitos, muitos anos, nestas andanças das internets, perdeu o seu fiel companheiro de muitos, muitos anos. E eu só posso imaginar a sua dor.

Isso e pensar na dor que sinto por não ter as minhas pulgas comigo. Com a separação, e porque fui eu que saí de casa, separei-me também delas. Infelizmente, a minha vida actual não me permite tê-las comigo. Já pensei trazer só a Amorazita para perto de mim mas não acho justo obrigá-la a viver em metade da casa (porque não vivo sozinha). Quando posso, vou vê-las. Mas não é o mesmo. Nunca será. Até porque não faz muito sentido continuar a ir lá a casa.

Tenho saudades delas. Muitas. Muitas mesmo. E receio que o tempo faça com que se esqueçam de mim. A Lady não. Que continua a lamber-me a cara de uma ponta à outra sempre que me vê, e não sai de ao pé de mim. Mas, ao mesmo tempo, a Lady é a que eu sei que nunca poderá viver comigo. Nunca seria capaz de lhe fazer isso. 

Tento não pensar muito nisto. Tento pensar que é o melhor para elas. Mas não se esquece uma parte de nós. Não se esquece.

4 comentários:

  1. Não é nada fácil querida...eles passam mesmo a ser membros da família, amigos. Amanhã será com certeza um dia melhor.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! São dias, sim. Uns melhores, outros piores. Um grande beijinho!

      Eliminar
  2. A minha vida não anda fácil e ando com isto das internets todas atrasadas. Só vi este teu post agora, deduzo que te estejas a referir a mim e ao Belchior. Mesmo que não estejas, faz hoje 15 dias que ele partiu e não há um único dia em que não chore por ele, em que não lhe sinta a falta, em que não olhe para os lugares onde ele se costumava deitar e me doa o vazio. Não espero, nem quero, que as pessoas entendam, mas eu sei que tu me entendes. Doi-me todos os dias.

    Mas deixou-me ainda mais triste o que li a seguir, deixou-me triste saber que te separaste, mesmo triste. Espero que estejas minimamente bem. Beijinho grande. *

    Carla (dias_uteis)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Referia-me a ti sim, Carlita. A ti e ao teu Belchior. Não consigo imaginar a tua dor, mas entendo-a. Acredita que entendo. E sei que não passa, e sei que vai continuar a doer. Mas também sei que as memórias boas são tantas, que um dia vais olhar para trás e sorrir. Vais sorrir mesmo quando chorares! A sério!

      Quanto ao resto, tudo passa!

      Um beijinho enorme para ti e muita força nesta altura!

      Eliminar