terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Do regresso à (quase) normalidade...

Já agendei muitos e variados posts com as fotografias diárias. Isto não tem piada assim, não. Mas a semana que passou foi completamente impossível.

Estou há cerca de dez dias num novo emprego. O que, em tempos de crise, é um luxo. Mantenho o outro, que me acompanha desde há muitos anos e a que chamo o meu trabalho das horas vagas. E agora tenho mais este. Nenhum deles é uma coisa a tempo inteiro mas a junção dos dois equivale a uma agenda um tanto caótica.

Mas tem sido bom. É bom voltar à minha área. É bom voltar a uma área da minha área a que eu achava que não ia voltar. 

Durante uma parte da minha vida académica eu achei que a minha vida passaria pela Museologia. O estágio no MNAA ajudou, e muito, a isso. Era o que eu me via a fazer. Trabalhar num museu. Trabalhar rodeada de arte todos os dias, a toda a hora. O Mestrado em Museologia pareceu-me, durante muito tempo, a opção lógica.

Quis o destino (ou quis eu) que pouco depois de acabar o curso desse comigo a estagiar num antiquário. Onde estive quase um ano e meio. E onde percebi que a minha vida passava pelas antiguidades. Depois disso, seguiu-se o Mestrado nesta área. E agora a tese e o meu projecto. E não tenho qualquer dúvida de que é isto. É mesmo isto.

E continuo ligada à Museologia, aos museus, à partilha universal da arte com o Mundo. E, agora, voltei a esse universo. Mas isso só serviu para ter a certeza de que não é por aí. Não é mesmo. Os museus hão-de fazer, sempre, parte da minha vida. Mas enquanto visitante. Não creio que algum dia vá ser mais do que isso.

Ainda assim, tenho a sorte de ter dois empregos em duas áreas de que gosto muito. E sei que sou uma sortuda. Sei que sou uma privilegiada. E espero continuar a ter esta sorte o tempo suficiente para poder, efectivamente, avançar com o meu projecto.

Sem comentários:

Enviar um comentário