quinta-feira, 7 de julho de 2011

Dos dias e das noites e das noites e dos dias...

Há dias, e noites, sobretudo noites, que custam horrores a passar.

Há dias, e noites, em que apetece desistir. Seguir o caminho mas fácil.

Há dias, e noites, em que acreditamos piamente que não vamos conseguir.

Há dias, e noites, em que nada faz sentido, nada nos consola, nada nos anima.

Há dias. E há noites. Uns melhores, outros piores. Outros uma grandessíssima merda com todas as letras.